A importância da acessibilidade

A importância da acessibilidade

Uma boa acessibilidade vai além de simplesmente permitir o acesso aos serviços e conteúdos, ela representa de forma prática a busca pela eliminação das barreiras de  do acesso ao usuário.

De acordo com Acessibilidade Brasil  “A expressão acessibilidade tem na informática um importante significado. Representa para o usuário não só o direito de acessar a rede de informações, mas também o direito de eliminação de barreiras arquitetônicas, de disponibilidade de comunicação, de acesso físico, de equipamentos e programas adequados, de conteúdo e apresentação da informação em formatos alternativos.”

Diante disso, a importância de se trabalhar com a preocupação, de tornar acessível  a informação cresce a cada dia, assim com a intervenção da tecnologia no desenvolvimento de novas plataformas de comunicação e de acesso a informação. As empresas de tecnologia estão apostando cada vez mais em profissionais que carregam consigo uma carga de conhecimento associado a criação de novos produtos, tendo a preocupação base os limites e as adaptações que podem ser realizadas, para eliminar as barreiras de acesso ao usuário em sua interação final com o produto.

O pensamento de Steve Jobs era o de que a simplicidade do design reside no fato de que se produz elementos fáceis de se usar. O papel do design é encurtar o tempo de compreensão da utilização do produto, tornando a comunicação mais intuitiva e motivacional. Assim, o usuário se sente mais à vontade para  descobrir as funcionalidades do produto a partir de sua intuição ao utilizá-lo.

Com esse papel tão fundamental do Designer, em avaliar o seu público-alvo e quais os tipos de dispositivos podem transmitir sua comunicação. Antes dos adventos modernos e o surgimento de novas tecnologias portáteis, como tablets e smartphones, a comunicação era focada mais no impresso como jornais, revistas, outdoors e em panfletos. O acesso à informação era feito de forma rápida, de fácil compressão e navegação, mas a preocupação da interação com o usuário e sua experiência diante a informação era mínima. Com a criação de novas plataformas de acesso surgiram letreiros virtuais espalhados pelas ruas, totens interativos, e até aonde menos se imaginava que poderia chegar, temos agora a informação na palma das mãos.

E só ter a informação não é algo suficiente hoje em dia, poder interagir com ela, compartilhar, divulgar e ampliar o seu alcance por meio de recursos para facilitar essa troca de conteúdo. O ser humano hoje tem um papel fundamental de ser um grande consumidor de informação e de compartilhar informação.

Mais quando se para então para avaliar o papel das pessoas ao consumir tal informação em diversos lugares, dispositivos e meios de acesso encontramos uma barreira em sua expansão, que é a preocupação de verificar e tornar acessível a informação a todos, essa preocupação torna o foco principal atingir as metas necessárias para que o uso da informação seja realizada de forma adequada, assim vai caber ao  designer saber optar pela melhor tecnologia de apresentação das opções que o usuário poderá escolher que, segundo Preece et. al. ( 2005, apud ARNOLD, 2013, p.3 ) são:

• Considerar no que seus usuários são bons ou não;

• Considerar quais alternativas poderão ser colocadas a fim de prestar auxílio aos usuários diante de atividades que eles ainda não conhecem;

• Pensar no que pode proporcionar experiências de qualidade aos usuários;

• Ouvir os usuários e envolvê-los no design.

• Utilizar técnicas baseadas no usuário que forem testadas e aprovadas durante o desenvolvimento do produto.

Dessa forma cabe ao responsável por essa interação compreender todo o caso presente para poder utilizar dos seus conhecimentos e aplicar uma boa comunicação com o usuário assim eliminando cada vez mais as barreiras de acesso a informação dando assim um valor maior ao projeto desenvolvido por está atento as principais questões relacionadas ao usuário e sua experiência na utilização do mesmo.

Projetos assim que buscaram valorizar esses aspectos em sua criação tendem a ter uma melhor recepção do seu publico em geral por não limitar o seu usuário, no qual isso deveria ser um atitude generalizada e não para projetos específicos, as normas da W3C ( World Wide Web Consortium) é a principal organização de padronização da web que  informa dicas e instruções para melhorias no desenvolvimento do seu produto para obter um bom resultado diante a navegação final.

Dessa forma a acessibilidade é sim um grande diferencial nos projetos interativos e deve-se obter valorização no desenvolvimento do mesmo pelos profissionais envolvidos nos quais se empenham em facilitar cada vez mais a vida de todos com simples ações e estruturas que facilitam sua navegação e utilização.

Fonte: Facebook.com

Felipe Ramon

Amo Tecnologia. Atuo na Area de Programação, Designer Gráfico, Web Designer e Técnico em Computadores. Trabalho na Loucurarte na Equipe de Apoio (Diretor de Midias Sociais)! #Conhecimento é Poder.

Postagens Relacionadas
Comentários